ÚLTIMAS

6/recent/ticker-posts

Coluna Abacate no FUT.SC: Onde mandar os jogos, Bruscão?


Equipe Fut SC, parceiros e visitantes, no YouTube tem 1 pouco de tudo. O evento de fundação do Brusque pode ser visto, é do canal Brusque Memória (deve ser da cidade, nem tanto do clube). O Brusque nasceu no coirmão Paysandu e hoje é desses emergentes que se preparam para crescer nacionalmente. Ao longo de 33 anos foi se estruturando, participando dos Campeonatos Catarinenses do período (campeão em 1992), Copas Santas Catarinas (campeão em 2018), Brasileirões entre Séries B e D (campeão da D em 2019) e mais recentemente Copas do Brasil (perdeu para o Corinthians apenas nos pênaltis em 2017, eliminou o Remo em 2019 e o Sport em 2020). Em uma temporada, até teve o tetracampeão Viola. Será uma das atrações no Brasileirão Série B de 2021. 

Mas o Augusto Bauer, do Carlos Renaux e casa adotiva, não tem a capacidade mínima, 10.000 torcedores. Seria preciso outra cidade com estádio maior. Chapecó? Criciúma? Joinville? Florianópolis? Mas se a torcida não puder estar presente pela pandemia, seria justo mandar os jogos no Augusto mesmo. Projeto Crescimento para o simpático Quadricolor: captação de recursos, melhorias no Augusto (esteja acima da rivalidade com o Carlos, seja parceiro), categorias de base, 3 novos uniformes, novo site oficial, concurso de musa e produtos licenciados. Os produtos poderiam estar disponíveis em lojas da parceira Havan em todo o Brasil como brindes para os clientes depois das compras. Sim, o Brusque pode ter muitos torcedores além de Santa Catarina. Alô Luciano Hang, fica a dica. Por exemplo: Havan em Bauru (SP), produtos licenciados brindes nas compras, sim, podem inspirar torcedores locais. E claro, tem o projeto do estádio próprio, novo e moderno, a Arena Havan, que pode e deve seguir em frente também. 

O Brusque vive 1 momento especial que pode ser melhor no futuro se o presente for bem trabalhado. É isso e visitem meu bloguinho: www.abacateturbinado.blogspot.com.br

* Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do FUT.SC



Postar um comentário

0 Comentários