ÚLTIMAS

6/recent/ticker-posts

Coluna Abacate no FUT.SC: Valdívia pode mais, deem estabilidade


Equipe Fut SC, parceiros e visitantes. Eu tenho escrito nos textos das colunas sobre histórias dos clubes catarinenses, o momento presente e perspectivas futuras. Hoje farei diferente, o Avaí está presente, mas através de 1 jogador: Valdívia. Mato-grossense revelado pelo Rondonópolis, estreou no Internacional principal em 2014. 

Desde então acumulou bons jogos. O que era para ser 1 bom ano, 2016, acabou sendo o pior da carreira, com efeitos até hoje. Lesão mais grave em amistoso do Brasil olímpico em Belém o afastou da então inédita medalha de ouro. Talvez com ele o Internacional não cairia no Brasileirão. Recuperado, começou a temporada 2017 e de repente aconteceu, empréstimo ao Atlético-MG.

Atribuiu-se a ele frase "Não quero jogar a Série B". Se perguntado, responde que não disse. O então presidente do Colorado Marcelo Medeiros 1 dia deixou sugerido que sim. Bá, respeito os 2, alguém não disse a verdade, isso é mal. Viriam outros empréstimos, São Paulo e Vasco, o bom futebol seguia sem voltar. Em 2020 chega ao Avaí, vinha no ritmo do time, alternando bons e maus jogos. O destino é cruel de novo: antes do jogo contra o CSA pelo Brasileirão Série B, teste de Corona vírus para o jogo seguinte contra o Juventude. Jogou o primeiro tempo e precisou sair no intervalo, o resultado do teste tinha chegado e apontou positivo. Que azar, na época critiquei o protocolo do Avaí e o da CBF. 

Teve razoavelmente isso nos Brasileirões: clubes com surtos de corona, chegando desfalcados em jogos, comprometendo desempenhos. Valdívia é bom jogador, vem tendo momentos ruins imerecidos. Ele pode mais, o Avaí precisa. O Catarinão não é mole, o Brasileirão Série B promete ser o mais disputado da história (seria a edição com mais campeões da Série A). Valdívia precisa de estabilidade para mostrar
que joga mais do que tem jogado.

É isso e visitem meu bloguinho: www.abacateturbinado.blogspot.com.br

* Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do FUT.SC


Postar um comentário

0 Comentários