ÚLTIMAS

6/recent/ticker-posts

Coluna Futebol e Saúde: "Porque ganhar peso é prejudicial e como uma mudança de hábitos de vida, combate esses efeitos."

Foto: Andres Ayrton, on pexels.com

Quero abordar hoje a importância de manter o corpo em bons níveis de gordura e massa muscular, a cada quilo de gordura que se ganha, aumenta a sobrecarga sobre a estrutura corporal e isso poderá  gerar problemas.

É importante deixar claro que o sedentarismo e a má alimentação são os grandes responsáveis por isso e esse peso  se torna algo estrutural, ou seja, é um quilo de gordura adquirido por esses hábitos e que não serão retirados de uma hora para outra.

Não existem estratégias mágicas para eliminar esse incômodo, ao se pesar e notar esse aumento, muitas pessoas buscam soluções simplistas e não ideais, nessas horas apelam para medicamentos diuréticos ou laxativos.

Essa solução afetará o peso na balança num curto espaço de tempo, mas normalizará rapidamente também, com a consequência  elimina líquidos e nutrientes importantes para o funcionamento do organismo.

E mesmo assim, não afetará esse quilo ganho. A gordura é acumulada e serve como uma reserva energética, ela possui funções importantes para o organismo. Mas seu excesso acumulado torna-se um “peso morto” e a tendência com os maus hábitos é que isso aumente.

Com isso, certamente ocorrerá uma sobrecarga do organismo, imagine alguém que não faz atividade física e vai aumentando o peso, logo estará com muitos quilos a mais que o corpo suporta, sobrecarregando articulações, músculos e demais sistemas do corpo humano. Aí aparecem as dores nas costas, articulações, aumento de pressão arterial e inúmeros problemas resultantes.

Para combater isso, é fundamental e necessário mudar hábitos e estilos de vida, uma reeducação alimentar e uma vida mais ativa são os caminhos.

Abordarei  a importância da redução do peso corporal, com qualidade, através de hábitos novos e mais saudáveis. Conforme estudos, cada quilo realmente perdido, resulta em grandes benefícios para a saúde.

A cada quilo perdido ocorre uma redução de 2 -2,25% da mortalidade total, diminuição de 3-4% de mortes por diabetes e 4-5% de diminuição de óbitos causados por neoplasias geradas pela obesidade.

Sobre a pressão arterial, essa diminuição auxilia na redução de 1mmHg da PRESSÃO ARTERIAL SISTÓLICA  e redução de 2 mmHg da PRESSÃO ARTERIAL DIASTÓLICA. 

O colesterol também sofre uma influencia positiva com a redução de peso. Redução de 1% do colesterol total, 1,5% do LDLc, redução de 3% nos valores de triglicérides e aumento de 0,8% do HDLc.

Como sempre gosto de frisar, a atividade física é um importante meio não farmacológico para a prevenção da saúde juntamente com uma reeducação alimentar. Atualmente a obesidade e suas decorrências são o grande mal da sociedade e cada vez mais vem atingindo faixas etárias menores.

Combater esse mal custa muito menos que comprar medicamentos para enfrentar os problemas causados, mas em um mundo imediatista , é necessário um esforço grande para mudar hábitos e é um processo longo mas muito efetivo.

Abraço!!! 

* Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do FUT.SC

Postar um comentário

0 Comentários