ÚLTIMAS

6/recent/ticker-posts

Coluna Futebol e Saúde: "Espírito olímpico ou comprometimento esportivo?"

Katarina recebe atendimento durante a prova

Assistia prova do Heptatlo feminino no dia 4/8, mais especificamente a prova de 200mts, onde a atleta britânica Katarina J. Thompson (uma das favoritas) sentiu uma lesão e ao ser amparada pela equipe médica, esta decidiu rejeitar o atendimento e completar a prova mesmo mancando e com bastante dificuldade de se locomover.

Na transmissão o narrador da prova ao relatar o fato, comentou sobre o espírito olímpico da atleta em tentar completar a prova mesmo sem condições e em último lugar. Isso não é um fato isolado nas Olimpíadas, em muitas outras edições aconteceram fatos semelhantes como o de hoje.

Aí me questiono, esse tipo de fato ocorre em mais quantidade nas Olimpíadas pelo ambiente  e importância da competição ou se dá pelo nível de comprometimento esportivo e pessoal que esses atletas possuem.

É bom falar que o fato de um atleta estar disputando os Jogos Olímpicos já o faz diferenciado da grande maioria, independente de conquistar medalhas ou não. Eles se destacaram e se qualificaram entre os melhores atletas de seus países para estarem lá.

Também não podemos considerar que todos os atletas deste alto nível possuem um espírito olímpico, valores éticos e profissionais, senão não teríamos tantas tentativas de fraudes e dopings como já presenciamos em outras edições dos Jogos Olímpicos.

Mas praticar um esporte forja o indivíduo, alguém com objetivos de evolução pessoal e não apenas de conseguir premiações e medalhas, assim conseguiram também bons resultados, mas estes serão consequências do crescimento do atleta não só na parte esportiva mas também na parte pessoal.

Outro ponto importante: um atleta olímpico treina em um ciclo de 4 anos para uma competição que muitas vezes dura  minutos, todo seu empenho, dedicação, frustração e vontade de superação são colocados à prova em pouco tempo. Esse é o momento sublime de todo um trabalho, imagine a vontade do atleta em  fazer o seu melhor neste curto período.

Trazendo para minha vivência esportiva de trabalhar com esporte de competição, os jogadores mais diferenciados no esporte, também tinham grandes virtudes pessoais, como humildade de ir melhorando sempre, objetivos bem definidos e eram muito regrados nas suas condutas esportivas e pessoais, além de agregadores nas questões referentes ao fortalecimento das equipes a que pertencem.

Temos muitos atletas de elite que são o oposto, vivem de suas capacidades físicas, técnicas e táticas elevadas e momentâneas, porém isso pode mudar muito rápido em função de não ter uma base estruturada para resolver os problemas que possam aparecer.

Então voltamos ao início, o espírito olímpico é uma virtude de grandes atletas, não só nas questões esportivas, mas nas condutas pessoais também. O ambiente olímpico que é o topo para eles, fortalece essa virtude que veio se formando e potencializando como as capacidades atléticas no decorrer da prática esportiva da formação até o alto nível.

O espírito olímpico é uma virtude de atletas realmente comprometidos com suas causas.

Abraço!!!!

* Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do FUT.SC

 

Postar um comentário

0 Comentários